O Cavalo de Pau carrega em si a força de ser um dos principais pilares do movimento do forró iniciado na década de 1990. Criado há 18 anos em Fortaleza pelo empresário Emanuel Gurgel, da produtora Somzoom, três anos após o surgimento da banda pioneira Mastruz com Leite, o grupo coleciona incontáveis sucessos no imaginário cultural nordestino. Músicas que estão presentes nos 16 álbuns próprios e um DVD, gravado em Cabedelo, na Paraíba. O mais recente projeto autoral lançado com o selo Somzoom foi o CD MP3 com os 50 maiores sucessos de carreira.

Ainda fazem parte desse acervo para colecionadores, o 1º DVD oficial “Pra Galera Curtir Numa Boa”. Os dois trabalhos inusitados reuniram, num amplo repertório, as principais composições de sua brilhante trajetória. Essa idealização concretizou uma conquista tão almejada pelos fãs, revertida em momentos inesquecíveis. A banda cearense leva aos shows, principalmente no projeto Forró das Antigas, a reconhecida personalidade orquestrada em melodias românticas e incomparáveis do traçado que a torna memorável até hoje onde é que esteja. A impulsão dessa identidade reveste-se simplesmente das canções antológicas. E não foram poucas que a classificaram como uma das preferidas do forró. O primeiro sucesso do Cavalo de Pau, que delineou o reconhecimento nacional, foi “Timidez”. Pertencente ao 1º CD Cão Chupando Manga, a música em pouco tempo ganhou notoriedade e explodiu nas paradas de sucesso do Brasil. Até hoje é cantada pelas antigas e novas gerações do forró.

Depois dela, uma sequência de inúmeras canções ganhou o destaque merecido. Figuram ainda nesse contingente “Bichinho de Estimação”, “Estrelinha do Céu”, “Seis Cordas”, “Brincar de Amar”, “Nosso Caso de Amor”, “Juras de Amor”, “Chuva Passageira”, “Noda de Cajú”, “Deixa” e “Lua Solidão”, são apenas um parâmetro da coletânea que mexe com o sentimento da nação forrozeira, relembrando os bons tempos que se faz tão presente.

Tudo começou em novembro de 1990 na cidade de Fortaleza/CE, quando o empresário Emanuel Gurgel, que na época trabalhava com confecções e já tinha uma banda de baile chamada Banda Aquários, resolveu criar um grupo musical que tocasse exclusivamente o forró. A idéia foi suficiente para dar inicio ao projeto que recebeu o nome de um time de handbool comandado pelo Emanuel nos tempos de faculdade que se chamava Mastruz com Leite. O time acabou e a banda herdou o nome.

No início o Mastruz tocava sempre nos intervalos dos shows da Banda Aquários. Com o tempo o grupo tornou-se a principal atração nas festas da capital cearense, sendo a pioneira a incorporar à sanfona, a zabumba e o triangulo, novos instrumentos como: o sax, o baixo, a guitarra e o teclado, levando para ao público uma composição inovadora e estilizada. Pouco a pouco a banda foi conquistando seu espaço e atendendo as pretensões de Emanuel em revolucionar os padrões do forró. A banda ficou consagrada como a maior Banda de Forró do Planeta, pela sua estrutura e por realizar cinco horas de shows direto sem parar.

No dia 22 de dezembro de 1990, foi realizado o primeiro show do Mastruz como principal atração no Mangueira Clube em Fortaleza. O sucesso veio à tona e o grupo ficou conhecido, expandindo novos contratos de shows pelas principais cidades do interior do Ceará (Quixadá, Crato, Sobral, Iguatu, Crateús, etc), até chegar em Araripina/PE, onde ocorreu o primeiro show além das divisas do estado cearense. Hoje a banda percorre o Brasil inteiro e já esteve em New York, Stanford e Massachusetts nos Estados Unidos, além de várias turnês em Genebra, Suíça, Lisboa, Porto e Zurique na Europa.

As primeiras gravações de shows do Mastruz eram feitas em um estúdio caseiro e vendidas em fita K7. Depois realizou se um trabalho profissional gravando a música “Rei do Baralho”, seu primeiro sucesso musical. A partir daí gravaram o 1º LP (Arrocha o Nó) pela Continental. Logo depois veio o LP (Coisa Nossa), com a canção “Meu Vaqueiro, Meu Peão”, estourada nas rádios projetando a banda no cenário nacional. O Mastruz saiu dos LP’s e entrou na onda do CD. Discos e mais discos foram surgindo, totalizando 44 álbuns gravados pela SomZoom Studio, fora os projetos paralelos lançados em parceria com gravadoras famosas como: a Sony, a Polygram e a EMI. Elevando ainda mais a quantidade de CD’s lançados no mercado fonográfico. Grandes nomes da música popular brasileira e nordestina foram homenageados pelo Mastruz ao longo dessa trajetória com a gravação de álbuns totalmente dedicados a Luiz Gonzaga, Roberto Carlos, Dominguinhos, Trio Nordestino, Jackson do Pandeiro, Pinduca, Carlos Santos e Peninha.

Nessa história de 20 anos o Mastruz já vendeu mais de 10 milhões de cópias, além de receber discos de Ouro e de Platina, registrando esse resultado nos principais programas de TV em rede nacional, entre eles: Faustão, Planeta Xuxa, Xuxa Hits, Falcão na Contra Mão, Jô Soares, Hebe Camargo, Clodovil, Programa Livre, Vídeo Show, Sabadaço/Band, Mulheres na Tv Gazeta, Mexe Brasil, Ratinho, Bem Brasil, Ceará Caboclo, Sábado Alegre, Forrobodó, Muito Mais, Interativo (TV Jornal-SBT/Recife), Clube Show (Band-Recife), Tribuna Show (Record-Recife), Pedro Paulo na Tv, Tony Show, Tarde Legal, Bagagge Livre, Tudo em Dia (Rede Estação-Recife) e vários outros programas nas emissoras de TV do país.

A ousadia é uma das marcas do Mastruz. Essa forma criativa de fazer a diversão do público levou pela primeira vez uma banda de forró a tocar em cima do trio elétrico no Carnaval de Salvador em 1995. A experiência adquirida reforçou convites para outras festas na Lavagem do Bonfim (BA), no Pré Carnaval de Fortaleza, na Micaredanga de Brasília (DF), Micarina (Teresina/PI) e tantas outras Micaretas espalhadas pelo Brasil até hoje com o Mastruz Elétrico. Pernambuco foi privilegiado por duas vezes para ser palco da gravação dos dois DVD’s da banda. O primeiro projeto áudio visual do Mastruz aconteceu em Maio/2004, no Parque de Exposições do Cordeiro, no Recife, para uma multidão de aproximadamente 60 mil pessoas. Esse trabalho chegou à marca de 100 mil dvd’s vendidos. O segundo DVD foi idealizado na cidade de Caruaru em Junho/2007, na abertura oficial do São João e nas comemorações de 150 anos da Capital do Forró.

Estima-se que compareceu cerca de 100 mil pessoas no Pátio de Evento Luiz Gonzaga no dia da gravação, embalados pelos grandes sucessos do Mastruz. Desde sua primeira formação a banda passou por várias reformulações, entre elas a mudança de componentes. Hoje o Mastruz conta com uma família de 15 músicos e vários outros funcionários que diariamente, dão sua parcela de contribuição numa extensa maratona de 20 a 25 shows por mês. Neto Leite, Raynner Rylker, Samara Madeira e Lívia Mara (vocalistas), Urôa e Artur César (Bateria), Romério Bass (Baixo), Ricardinho (Guitarra), Fofinho (Teclados), Bem Te Vi, Luciano e Neto (Sanfona), Cleidiane Rodrigues (Back Vocal), Wilson (Sax), Sidney (Trumpete) e Pica Pau (Trombone), compõe a nova família Mastruz com Leite. Atualmente o Mastruz ocupa seu lugar merecido nessas duas décadas de carreira como a pioneira de todo esse movimento. Contagiando crianças, jovens, adultos, idosos, pobres e ricos, sem perder a identidade e a qualidade musical. A mãe de todas as bandas - como é conhecida, desbravou muitos caminhos para ser a precursora, abrindo espaço para o surgimento de novos grupos até os dias atuais. Release enviado pela assessoria de imprensa da Banda.

Publicidade